EUA consideram uma reaproximação diplomática com a Coreia do Norte para tratar de questões nucleares

Porta-voz da Casa Branca disse que o país continuará a aplicar sanções contra o regime norte-coreano, mas que estão em contato com aliados para tentar uma abertura diplomática com Pyongyang. Secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, em entrevista coletiva em 7 de abril de 2021 Kevin Lamarque/Reuters O governo dos Estados Unidos considera se reaproximar da Coreia do Norte, de forma diplomática, para tratar sobre o fim das atividades nucleares na região, disse a secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, nesta quarta-feira (7). "Temos um objetivo claro em relação à Coreia do Norte, é a desnuclearização", afirmou Psaki. A porta-voz do governo americano disse em entrevista coletiva que os EUA vão continuar a aplicar sanções contra o regime norte-coreano, mas que estão em contato com aliados da região para tentar uma abertura diplomática com Pyongyang. O presidente Joe Biden tem evitado comentar sobre o tema enquanto seu gabinete termina de revisar as estratégias de aproximação com a Coreia do Norte iniciadas durante o governo Trump. Donald Trump se reuniu três vezes com o ditador Kim Jong-un. Com as reuniões, o programa nuclear foi suspenso temporariamente, assim como lançamentos de mísseis. O líder norte-coreano Kim Jong-un e o presidente dos EUA, Donald Trump, durante encontro em Panmunjom, na Coreia do Sul, em junho de 2019 Kevin Lamarque/Reuters/Arquivo Reunião com aliados No começo do mês, autoridades dos EUA, Japão e Coreia do Sul participaram de uma reunião fechada para discutir a nova política de governo norte-americana para a Coreia do Norte. Essa foi a primeira reunião entre esses três aliados desde que Joe Biden assumiu o governo. No fim de março, a Coreia do Norte voltou a disparar mísseis. O governo da Coreia do Norte tenta acabar com as sanções internacionais que foram impostas em resposta ao seu programa armamentista. Trump e Kim chegaram a um acordo em Singapura em 2018, mas, até agora, não se sabe se o governo Biden vai levar os termos daquele entendimento em consideração. VÍDEOS mais vistos do G1

EUA consideram uma reaproximação diplomática com a Coreia do Norte para tratar de questões nucleares

Porta-voz da Casa Branca disse que o país continuará a aplicar sanções contra o regime norte-coreano, mas que estão em contato com aliados para tentar uma abertura diplomática com Pyongyang. Secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, em entrevista coletiva em 7 de abril de 2021 Kevin Lamarque/Reuters O governo dos Estados Unidos considera se reaproximar da Coreia do Norte, de forma diplomática, para tratar sobre o fim das atividades nucleares na região, disse a secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, nesta quarta-feira (7). "Temos um objetivo claro em relação à Coreia do Norte, é a desnuclearização", afirmou Psaki. A porta-voz do governo americano disse em entrevista coletiva que os EUA vão continuar a aplicar sanções contra o regime norte-coreano, mas que estão em contato com aliados da região para tentar uma abertura diplomática com Pyongyang. O presidente Joe Biden tem evitado comentar sobre o tema enquanto seu gabinete termina de revisar as estratégias de aproximação com a Coreia do Norte iniciadas durante o governo Trump. Donald Trump se reuniu três vezes com o ditador Kim Jong-un. Com as reuniões, o programa nuclear foi suspenso temporariamente, assim como lançamentos de mísseis. O líder norte-coreano Kim Jong-un e o presidente dos EUA, Donald Trump, durante encontro em Panmunjom, na Coreia do Sul, em junho de 2019 Kevin Lamarque/Reuters/Arquivo Reunião com aliados No começo do mês, autoridades dos EUA, Japão e Coreia do Sul participaram de uma reunião fechada para discutir a nova política de governo norte-americana para a Coreia do Norte. Essa foi a primeira reunião entre esses três aliados desde que Joe Biden assumiu o governo. No fim de março, a Coreia do Norte voltou a disparar mísseis. O governo da Coreia do Norte tenta acabar com as sanções internacionais que foram impostas em resposta ao seu programa armamentista. Trump e Kim chegaram a um acordo em Singapura em 2018, mas, até agora, não se sabe se o governo Biden vai levar os termos daquele entendimento em consideração. VÍDEOS mais vistos do G1